Buscar
  • Liza | Construtábil

Em que momento você percebeu que precisa de Indicadores Financeiros na sua empresa?

Administrar uma empresa não é uma tarefa simples. Você precisa lidar com diversas demandas no dia-a-dia e, por isso, é necessário que você tenha à sua disposição ferramentas para ajudá-lo nessa caminhada. E é aí que entram os indicadores financeiros.


Você sabe o que são os indicadores financeiros?


Eles são métricas que você pode usar para acompanhar o desempenho financeiro da sua empresa. Eles são mensuráveis e controláveis também através de KPI (Key Performance Indicators). Em tradução livre, são Indicadores-Chave de Desempenho. Ou seja, fazendo a gestão desses indicadores, a sua empresa terá uma visão voltada para resultados. Afinal, quando o tema é dinheiro, é imprescindível dados confiáveis para a tomada de decisão.


Assim, “indicadores financeiros” é algo que todo empreendedor deve saber, pois eles irão guiar a sua empresa no caminho mais lucrativo e promissor.


É normal que os empreendedores olhem somente para o faturamento ou as vendas. Mas isso, muitas vezes, pode não ser suficiente para a análise da saúde financeira da sua empresa, pois é possível vender muito e lucrar pouco (ou até mesmo ficar no prejuízo), quando se tem um custo muito alto ou uma precificação errada, por exemplo. Por isso, o acompanhamento de diversos indicadores financeiros, e não 1 ou 2 de forma isolada, será mais eficaz para tomadas de decisões muito mais assertivas.


Abaixo, separamos alguns indicadores para exemplificar e deixar tudo mais claro e simples:


1. Faturamento


Esse indicador serve para avaliar o desempenho das vendas e entender se a empresa estará gerando caixa suficiente para cobrir seus custos e, consequentemente, lucrando. É importante salientar que o faturamento entrará no seu caixa no momento do recebimento!


Esse indicador também ajuda a determinar os impostos que a empresa precisa pagar. Há dois tipos de faturamentos que você pode acompanhar: o bruto e o líquido. O faturamento bruto é a multiplicação do Preço de Venda x Quantidade vendida, enquanto que o faturamento líquido é o Faturamento bruto - Deduções de vendas (vendas canceladas ou devolvidas) - Impostos


2. Ponto de Equilíbrio


O ponto de equilíbrio indica o momento em que a receita líquida é exatamente igual à soma dos custos e despesas, ou seja, lucro líquido zero. Esse indicador vai ajudar a empresa a saber quanto precisa vender para não ficar no prejuízo.


Claro que “lucro líquido zero” não é o que as empresas esperam, mas acompanhar o ponto de equilíbrio vai ajudar a saber quando a empresa vai começar a dar lucro.


Esse indicador é calculado através da fórmula:


Ponto de equilíbrio = Custos e despesas fixas ÷ Margem de contribuição


A margem de contribuição veremos a seguir, com mais detalhes.


3. Margem de contribuição (margem bruta)

A margem de contribuição vai mostrar o que realmente sobra para a empresa, depois de pago o custo de produção e os impostos (despesas variáveis).

E essa “sobra”, será o dinheiro usado para pagamento das despesas fixas (salários, aluguel etc.) bem como o lucro para sócios e acionistas, ou seja, esse indicador vai mostrar se a receita é suficiente para pagar todas as despesas e ainda lucrar. A fórmula para calcular esse indicador é:

Margem de contribuição = Faturamento - (Custos relacionados à produção + Despesas relacionadas à produção)


4. EBTIDA

A sigla EBITDA (Earnings before interest, taxes, depreciation and amortization) significa lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização, em tradução livre. Esse indicador irá mostrar o quanto a empresa gera de recursos sem levar em conta descontos financeiros e impostos, ou seja, avalia o potencial de geração de caixa de uma empresa.

Esse indicador é calculado através da fórmula: EBITDA = Lucro operacional + depreciação + amortização

O lucro operacional é o lucro bruto - [despesas operacionais + receitas operacionais]). As despesas e receitas financeiras não devem ser consideradas para fins do cálculo do EBITDA. A depreciação é a perda de valor de um bem devido ao seu uso, enquanto que a amortização é representada pela perda de ativos intangíveis, como marcas e patentes.


5. Lucratividade

Esse indicador vai apresentar o que a empresa efetivamente ganhou em relação a tudo que recebeu.

Quando uma empresa efetua uma venda ou um serviço, o valor precificado não será 100% do negócio, já que há custos com mão-de-obra, fabricação, entre outros. A lucratividade vai mostrar a relação (em percentual) do valor do lucro líquido e o valor das vendas.

Lucratividade = Lucro líquido / Receita líquida x 100

Com esse indicador, os sócios e acionistas poderão ter uma visão da capacidade da empresa de gerar lucros.

Há outros indicadores que você pode utilizar, como: giro de estoque, ticket médio, rentabilidade, que podem auxiliar ainda mais na tomada de decisão.

Não é fácil fazer o acompanhamento de tantos indicadores, mas se você quer tomar decisões visando o crescimento da sua empresa, o acompanhamento desses indicadores é fundamental.

Aqui na Construtábil, podemos te ajudar. Nós temos serviço de BPO Financeiro e, com ele, podemos te auxiliar no acompanhamento de indicadores financeiros.

Se você possui uma equipe reduzida ou não tem um responsável pelo financeiro, a contratação do nosso BPO Financeiro pode ser a solução perfeita para você!


Tem alguma dúvida? Entre em contato conosco! Certamente teremos a melhor solução para sua empresa!

14 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo